A estreia brasileira aconteceu em 07 de abril de 2000, no Teatro Clara Nunes no Rio de Janeiro com incrível sucesso de público e crítica. A genialidade de Miguel Falabella na adaptação e direção do texto o tornou o primeiro diretor no mundo a escalar três atrizes para, ao mesmo tempo, encenarem as narrativas das entrevistas originais colhidas por Eve Ensler. Esta concepção, a pedido da própria autora que esteve presente na estreia brasileira, foi adotada mundialmente em todas as produções, e assim permanece até hoje. Os direitos para produção brasileira foram adquiridos por mim em 1998, em Nova Iorque, quando assisti a uma das primeiras performances da peça ainda apresentada pela própria autora Eve Ensler. Não tive dúvidas que estava diante do que viria a ser um grande  sucesso.

Os ingressos esgotados em todas as apresentações e o boca-a-boca favorável imediato transformou “Os Monólogos Da Vagina” em um dos espetáculos mais badalados do Rio e depois o mesmo se repetiu na temporada de São Paulo seguindo o mesmo sucesso em turnês pelos maiores teatros de todo o Brasil.

Passados 10 anos fizemos uma pequena pausa para descanso e reestruturação do espetáculo que, tendo a mesma concepção e direção de Miguel Falabella, ganha na montagem de 2011, novos figurinos, cenário mais moderno e a utilização de tecnologia de projeções de alta definição.

O espetáculo continua forte, vivo e muito atual, não somente pelo entretenimento e diversão garantidos mas pela incrível e verdadeira mensagem contida em cada palavra do texto. No momento em que o Brasil, pela primeira vez na história, elege uma mulher para a Presidência da República, deixemos que as vozes femininas ecoem novamente seus desejos e anseios em todos os palcos do país.

Atrizes consagradas como Zezé Polessa, Cláudia Rodrigues, Cissa Guimarães, Fafy Siqueira, Totia Meirelles, Bia Nunnes, Lucia Veríssimo, Tânia Alves, Elizângela, Mara Manzan, Cacau  Melo e Maximiliana Reis dentre outras, se orgulham de ter tido um dia, a oportunidade de encenar, com muito carinho e respeito, os depoimentos reais de todas as mulheres que tornaram esta obra possível.

O retorno do espetáculo comemorando 11 anos no Brasil está previsto para meados de 2011 em São Paulo, numa produção de Cássio Reis e Phoenix Produções Artísticas.

« »